A acupunctura tem sido cada vez mais procurada para o tratamento de quadros de ansiedade e insónia. Tal resulta de 2 factores: aumento verificado neste tipo de perturbações (consequência directa do estilo de vida moderno, agravada por uma conjuntura económica difícil) e do sucesso que a medicina chinesa (individualmente ou como complemento da medicina alopática) tem tido na regularização deste tipo de distúrbios, com recurso a técnicas seguras e desprovidas de toxicidade para o organismo.

 

 

A medicina chinesa tem uma visão holística do corpo humano, não existindo separação entre físico e mental. As perturbações do humor são manifestações de uma perturbação fisiológica, pois o corpo é a base material da mente que, por sua vez, é a expressão das funções orgânicas do corpo. Nesta visão holística, as alterações orgânicas podem ser a causa de alterações emocionais (somato-psiquismo) e as alterações psicológicas podem ter um efeito positivo ou negativo sobre o funcionamento do corpo (psico-somatismo), justificando a grande diversidade de formas como somatizamos os nossos quadros de ansiedade.

 

O diagnóstico da disfunção mental

O diagnóstico da disfunção mental na medicina chinesa é diferente do da medicina alopática, pois baseia-se na Teoria dos 5 Movimentos. Segundo esta teoria, são definidos 5 elementos psico-afectivos designados por Jing Shen (Jing Shen ZhiJing Shen Hun, Jing Shen Shen, Jing Shen Yi e Jing Shen Po), aos quais correspondem 5 qualidades específicas da área emocional (Motivação, Criatividade, Alegria, Pensamento e Sensibilidade) e a 5 emoções/sentimentos negativos (Medo, Cólera, Angústia, Preocupação e Tristeza). Tal como as cores primárias são responsáveis por todas as restantes cores, estes 5 elementos psico-afectivos (Jing Shen) são responsáveis por todo o leque de emoções e sentimentos que definem as características da personalidade de cada um de nós, bem como a forma como reagimos aos estímulos, tanto endógenos como exógenos.

Quando os 5 Jing Shen se encontram em harmonia, temos uma consciência e uma percepção clara do ‘eu’ e do mundo que nos rodeia (‘não-eu’), permitindo a tolerância e o equilíbrio entre 2 conceitos que constituem o eixo fundamental da nossa psique: ‘eu quero’ (sob a influência do Shen) e ‘eu posso’ (sob a alçada do Zhi). Na medicina chinesa, um desequilíbrio entre estas 2 realidades (‘eu quero’ vs ‘eu posso’) está na génese de um síndrome energético designado por ‘Rotura do eixo Shaoyin’, o qual na sua forma extrema corresponde às crises de pânico da medicina alopática.

De forma resumida, a sequência fisiopatogénica é a seguinte: um estímulo desencadeia uma sensação que poderá ser agradável ou desagradável. Essa sensação dá-nos a percepção do que gostamos (agradável) vs o que não gostamos (desagradável). Essa percepção cria em nós o desejo por aquilo que gostamos. Esse desejo, por sua vez, cria a necessidade de posse, da qual resulta o ‘eu quero’. Perante essa necessidade de posse (‘eu quero’) 2 resultados poderão surgir: eu posso ter o que quero (daí nascem as emoções/sentimentos positivos: Motivação, Criatividade, Alegria, Pensamento e Sensibilidade) ou eu não posso ter o que quero (daí nascem as emoções/sentimentos negativos: Medo, Cólera/Frustração, Angústia, Preocupação e Tristeza). Quanto maior for a diferença entre o ‘eu posso’ e o ‘eu quero’ maior o desequilíbrio entre Zhi e Shen, logo maior será a intensidade dos estados emocionais negativos, iniciando-se com quadros de ligeira tristeza ou frustração, mas podendo evoluir para os episódios de medo e forte angústia que caracterizam as crises de pânico. Por outro lado, quanto melhor for o equilíbrio entre os vários Jing Shen, maior será a capacidade de lidar, de se adaptar a essa diferença entre ‘eu posso’ e ‘eu quero’, vindo ao de cima as características que nos permitem vencer os obstáculos da vida: motivação, criatividade, pensamento racional, instinto e alegria. Ter em atenção que estes conceitos genéricos de ‘eu quero’ vs ‘eu posso’ não se limitam a questões materiais, incluindo as relações interpessoais, bem como os sonhos, ambições e projectos individuais.

 

Estimulação dos pontos de acupunctura

Apesar de ainda não estar totalmente definido o mecanismo de acção da acupunctura nas perturbações do humor, sabe-se que a estimulação dos pontos de acupunctura tem repercussão no sistema de neurotransmissão, nomeadamente nos níveis de serotonina, adrenalina e dopamina do encéfalo. Sem esquecer os estudos que confirmam a redução dos níveis de cortisol libertados pela supra-renal (ao regularizar o eixo hipotálamo-hipófise-suprarenal) ou a elevação dos níveis de endorfinas (tanto no sangue como no líquido cefalo-raquidiano) durante e após uma sessão de acupunctura. A estimulação dos pontos Shen, de uma forma repetida, por um determinado período de tempo, tem um efeito cumulativo e duradouro na libertação dos neurotransmissores já enunciados, contribuindo decisivamente para uma maior capacidade de adaptação (tanto física como emocional) às situações de stress, fazendo da acupunctura um tratamento de 1ª linha na ansiedade ligeira ou generalizada.

 

O tratamento de acupunctura

O tratamento de acupunctura procura estimular os mecanismos endógenos de auto-regulação destes 5 elementos psico-afectivos (Zhi, Hun, Shen, Yi e Po) de modo a regularizar o desequilíbrio que está na base do quadro ansioso. Para tal, existem pontos específicos para a patologia mental, designados por pontos Shen, que funcionam como autênticos reguladores gerais do estado emocional, podendo ser reforçados com pontos específicos para controlar a forma como o paciente somatiza as suas alterações de humor: somatização cardíaca (palpitações, aperto précordial), digestiva (gastralgia, dilatação abdominal, diarreia), respiratória (suspiro frequente, aperto torácico), urinária (urgência miccional), muscular (dor e tensão cervical, tiques faciais), faríngea (sensação de nó, aperto ou bola na garganta) ou no ciclo sono/vigília (todo o tipo de insónia).

Todas estas somatizações têm forte impacto na qualidade de vida do paciente e são o reflexo do desequilíbrio no sistema nervoso vegetativo (simpático vs parassimpático) ou, como dizem os clássicos da medicina chinesa, são o reflexo do desequilíbrio yin/ yang do organismo, existindo pontos de acupunctura específicos para a regularização deste tipo de desequilíbrio orgânico, isto é, pontos que ao regularizarem o sistema nervoso vegetativo, controlam as somatizações orgânicas da ansiedade do paciente, com clara melhoria para a sua qualidade de vida.

 

Artigo publicado na Zen Energy Nº73 (edição de Fevereiro de 2015)