acupunctura é uma técnica médica antiga que utiliza a estimulação de pontos de pressão com a finalidade de reequilibrar o corpo de um paciente, deixando-o num estado saudável. O método de estimulação mais comum é a inserção de agulhas em locais específicos da pele. A prática é popular na China e noutros países asiáticos há mais de 3000 anos. É utilizada para tratar a dor crónica, vício de nicotina, problemas de tiroide, enxaquecas e centenas de outras doenças. As culturas asiáticas têm usado a acupunctura como tratamento de infertilidade há milhares de anos.

 

O conceito básico de acupunctura envolve uma força energética, ou chi, que viaja pelo corpo em meridianos (canais). O chi afeta todos os aspetos da vida: emocional, espiritual, físico e mental. Yin e yang, as forças opostas que existem no chi, devem ser equilibrados para tornar o corpo saudável. No caso de um desequilíbrio que causa problemas de saúde, os acupunctores colocam agulhas em pontos específicos dos meridianos para desbloquear a passagem do chi. Os pontos de acupunctura variam de acordo com a doença.

 

Padrões de desarmonia

A medicina tradicional chinesa identifica vários padrões de desarmonia nos casos de infertilidade em mulheres, incluindo falta de energia, ciclos menstruais irregulares e cansaço excessivo. Assim, a acupunctura para mulheres inférteis almeja os meridianos dos rins, do coração e do fígado. Acredita-se que os rins sejam os responsáveis por fornecerem energia ao corpo, por isso, tratar esta área dará à mulher mais energia para oferecer ao corpo. O tratamento do meridiano do fígado regula o fluxo menstrual e reduz os efeitos psicológicos da TPM (tensão pré-menstrual), da depressão e da ansiedade. Por último, o sistema cardíaco, ao qual se atribui a responsabilidade do estado emocional de uma pessoa. Assim, a acupunctura que almeja esse meridiano ajuda a reduzir o cansaço e promove o relaxamento e a saúde através do processo de conceção. Quando todas as três áreas são tratadas, a qualidade do óvulo melhora, o revestimento do útero torna-se mais saudável, os ciclos menstruais são regulados e as hormonas entram em equilíbrio em todo o corpo.

De acordo com a medicina ocidental, as causas mais comuns de infertilidade feminina são a síndrome do ovário policístico (SOP), irregularidades de ovulação e desequilíbrio hormonal. A SOP aparece quando os ovários de uma mulher produzem altos níveis de hormonas masculinas. Isto cria um desequilíbrio em todas as suas hormonas, o que pode impedir a produção de óvulos. Cistos podem formar-se nos ovários, causando uma diminuição ou interrupção da ovulação. A acupunctura também pode ajudar a reequilibrar os sistemas corporais e a aumentar o fluxo sanguíneo nos órgãos reprodutivos, o que restaura o funcionamento dos ovários.

Um bónus adicional ao aumento do fluxo sanguíneo nos órgãos reprodutivos envolve o endométrio, que é a membrana de muco presente no útero. O aumento do fluxo sanguíneo torna essa membrana mais espessa, o que faz com que a implantação de um óvulo fertilizado na membrana seja mais possível. Além disso, o reequilíbrio das forças corporais pode ajudar a regular a função da tiroide e a reduzir o peso, dois fatores associados à infertilidade. Mas, quando a saúde geral da mulher afeta a fertilidade (no caso de uma doença de tiroide, por exemplo), o terapeuta utiliza meridianos diferentes.

O tempo e a consistência também são importantes. O tratamento bem-sucedido, geralmente, envolve de 1 a 2 sessões por semana, durante 3 a 6 meses. As hormonas de uma mulher podem ser ajustadas durante cada semana do ciclo menstrual, por isso, os terapeutas recomendam um mínimo de 12 tratamentos (ou 3 ciclos consecutivos). Os casais podem continuar as tentativas de engravidar durante o tratamento, mas os acupunctores, geralmente, acreditam que o equilíbrio do corpo precisa acontecer antes disso.

A infertilidade nos homens

Os homens também podem tratar a infertilidade com a acupunctura nos meridianos dos rins, do coração e do fígado. Isso pode ajudar na infertilidade causada pelo cansaço, baixa produção/má qualidade de espermatozoides. Se a causa for a baixa contagem ou a imobilidade dos espermatozoides, o tratamento deve durar, pelo menos, 3 meses, devido ao tempo de maturação dos espermatozoides.

 

Artigo publicado na Zen Energy Nº 87 (edição de abril de 2016)