Existem dois dias da nossa vida que nunca podemos fazer nada. Está fora do nosso alcance qualquer possibilidade de acção. Sabe quais são estes dias?

O ontem e o amanhã.

Todos os outros dias, nós podemos fazer alguma coisa por nós e pelos outros.

E qual a maior questão em relação a isto tudo?

A maior parte do nosso tempo, deixamos a nossa mente divagar sobre o futuro ou sobre o passado e nesta viagem perdemos o Agora, que é o momento mais importante da vida de todos nós.

 

Só podemos fazer alguma coisa no Agora, no Hoje e é por isso que este momento se chama presente. Realmente é um presente dado pela vida a nós.

O que acontece é que muitos de nós passam pela vida sem quase aproveitar este grande presente. É no Agora que podemos sentir a nossa essência, transformar o que nos incomoda e fazer alguma coisa para mudar a nossa vida e a das pessoas que estão à volta.

O que faz diariamente com este presente que a vida lhe deu?

Quanto tempo do seu dia você está no Agora e quanto tempo está a navegar pelo futuro ou pelo passado?

O passado é referência e o futuro uma possibilidade. Esta referência não serve para nada nem esta possibilidade se tornará real se não fizermos alguma coisa hoje.

O que está a fazer hoje? Que tipo de sementes está a plantar hoje?

É isto que colherá amanhã.

E o que está a colher hoje?

Foi isso que plantou ontem.

Se não está a gostar da colheita, semeie outra coisa, plante outra semente, cuide do seu solo.

Como disse William Shakespeare, no Menestrel: «Plante o seu jardim e decore a sua alma ao invés de esperar que alguém lhe traga flores.»

 

Exercício

Exercício prático que nos possibilita exercitar a presença no Aqui e Agora

E como posso treinar a minha presença no HOJE?

Proposta prática com alguns exercícios simples:

  • Todas as vezes que um pensamento do passado vier à sua mente, seja recordando um erro, ou algo que aconteceu na sua vida, faça uma pergunta para si mesmo: o que posso aprender hoje com isso para que esta situação não se repita mais?
    1. Se a lembrança for algo bom, mude a pergunta: o que posso continuar a fazer hoje para que mais momentos destes surjam na minha vida?
    2. E fundamental, transforme a sua resposta em acções no seu dia;

 

  • Quando a sua mente fugir para o futuro, pensando em possibilidades, planos, metas,… pergunte-se: o que posso começar a fazer agora para chegar lá? Ou então, o que preciso começar a fazer para garantir que o melhor acontecerá?
    1. Novamente, transforme as suas respostas em acções que possam ser realizadas hoje;

 

  • Outra forma de voltar para o presente é simplesmente respirar com atenção. Preste atenção no seu fluxo de respiração e sinta o seu corpo enquanto respira. Esta é uma forma de voltar para o presente. Não importa onde a sua mente vá, o seu corpo sempre está no presente. Lembre-se disso;

 

  • Práticas como chi kung, yoga, meditação e tai chi chuan intensificam a prática do presente e da concentração no Agora. Experimente uma delas, pratique uma com regularidade;

 

  • Apreciar a Natureza, ir para algum lugar onde tenha muita Natureza e prestar atenção ao barulho do mar, dos pássaros, sentir o vento, a brisa, tudo isso nos traz para o presente.

 

Nenhuma das regras anteriores terão resultados se não estiver no presente enquanto pratica. Elas só o ajudam hoje, não amanhã, nem ontem, por isso, viva o seu hoje, esteja o máximo de tempo no presente. Deixe a mente aprender com o passado e buscar possibilidades no futuro, mas não se prenda a elas.

Viva o agora, sinta o agora, esteja aqui e agora. E simplesmente, viva!

Estando no HOJE, as expectativas são diluídas e é aí que chegamos à chave nª 5… A GRATIDÃO.

 

Artigo publicado na Zen Energy Nº72 (edição de Janeiro de 2015)