Com as excepções alimentares cometidas nas últimas semanas do ano e com a transição para 2015, começam as listagens de prioridades e de objectivos para o ano que entra.

 

De ano para ano muita coisa pode mudar, mas os objectivos são normalmente muito consistentes: organizar a agenda e o calendário das férias, estar com os amigos que não vê com a frequência que gostava, comprar isto ou aquilo e… não podia faltar: desintoxicar dos excessos da passagem de ano, inscrever-se no ginásio e iniciar uma dieta mais cuidada e saudável!

 

Alimentação mais saudável

A preocupação com uma alimentação mais saudável começa a ser uma prioridade nas nossas vidas, ano após ano, e um objectivo que começa agora mais cedo do que a típica ‘missão biquíni’com a chegada do bom tempo, da Primavera que antecede o Verão! Sinto cada vez mais que esta missão é algo que acompanha ou, pelo menos, deveria fazê-lo nas 4 estações ao longo de todo o ano e não só quando as roupas são mais curtas e os corpos mais visíveis.

No início do ano podemos retomar a regra e a rotina de dieta equilibrada, assim como os estilos de vida mais saudáveis por forma e voltarmos a entrar nos eixos. No entanto, o sentimento de culpa pode ser traiçoeiro e acabamos com a filosofia do ‘perdido por cem perdido por mil’, entrando num ciclo de asneira constante que perdura até ao momento em que o Sol espreita e as roupas mostram mais corpo.

 

Dicas

10 Dicas para manter uma alimentação mais saudável ao longo dos 365 dias do ano

  1. Comece o dia a beber água morna

Antes de tomar o seu pequeno-almoço beba um copo de água morna com limão e uma rodela de gengibre fresco (raiz).

 

  1. Abuse das infusões

Para intensificar a acção diurética nesta fase, poderá utilizar chás ou infusões com efeito drenante, como é o caso do chá verde ou das infusões de hibisco, cavalinha ou dente de leão. Sempre sem açúcar claro!

 

  1. Hidrate-se: Nunca é demais relembrar

Além dos chás beba, no mínimo, 1,5l de água pura ao longo do dia. Ela ajuda a eliminar as toxinas através dos rins.

 

  1. Abaixo os refrigerantes e as bebidas açucaradas

Mesmo as suas versões diet, zero ou light têm corantes e outras substâncias artificiais que prejudicam o processo de limpeza do organismo.

 

  1. Opte por alimentos da época

Por respeito à Natureza opte por alimentos da época e sempre que possível de produção biológica.

 

  1. Substitua o sal

Além do seu consumo excessivo ser uma problemática em Portugal, estando associado a um maior risco de problemas cardiovasculares, aumenta também a tendência para a retenção de líquidos (uma problemática comum e uma queixa frequente entre as mulheres). Alternativas saudáveis, como a sua substituição por ervas aromáticas ou por produtos que ‘salgam’ sem sódio parecem excelentes ideias para 2015.

 

  1. Utilize super-alimentos

Alguns super-alimentos com potencial desintoxicante podem ser introduzidos na nossa alimentação com o objectivo de ajudar a eliminar os excessos e as toxinas, entre eles a spirulina ou clorela que se consegue encontrar facilmente nas lojas da especialidade, ervanárias ou supermercados biológicos.

 

  1. Não fique parado

O exercício físico não pode ser esquecido. A prática regular de uma actividade física da sua preferência, quer seja em ginásio ou ao ar livre, faz a diferença para aquelas que pretendem manter um forma física e uma saúde ao longo dos 365 dias do ano. O exercício faz bem ao corpo e ao espírito. É um excelente aliado no combate ao stress do dia-a-dia.

 

  1. Organização e horários

É importantíssimo que o nosso organismo tenha horários e que as refeições intercalares não sejam esquecidas. Pode perfeitamente colocar um lembrete no telemóvel de 3 em 3 horas para a lembrar das suas refeições (especialmente daquelas mais negligenciadas como o meio da manhã e os lanches da tarde).

 

  1. Não entre em dietas radicais

Procure um acompanhamento nutricional personalizado e não entre em dietas radicais da moda, que prometem resultados imediatos e instantâneos, mas que desvanecem num abrir e fechar de olhos assim que deixamos a restrição alimentar exagerada. O radicalismo não é solução.

 

Artigo publicado na Zen Energy Nº72 (edição de Janeiro de 2015)