Já sabíamos que, durante a conceção, os programas genéticos do ADN da mãe e do pai são transmitidos para a primeira célula do bebé. Mas a Ciência revela agora que, durante a gravidez, esses programas podem ser ativados ou não, ou até mesmo modificados, de acordo com a qualidade das emoções e reações que a mãe vive, bem como a qualidade do meio ambiente que a envolve.

——————————————————–

Quando a mulher está grávida, as suas experiências tornam-se informação que o bebé organiza, tendo em vista o seu próprio desenvolvimento físico e psíquico, e essa informação fica registada em cada uma das suas células. O útero torna-se, assim, a primeira escola do seu bebé.

Entendemos hoje que a responsabilidade de uma mãe vai muito além do vínculo físico (o que deve comer, beber, não fumar, etc.) e estende-se para a qualidade do que a sua mente experiencia, os seus pensamentos, emoções e a sua própria visão do mundo exterior. Mãos que vivenciam sentimentos de ansiedade, stress, frustração e depressão durante a gravidez têm uma maior tendência para a falta de conexão e vínculo com o bebé, influenciando a vida intrauterina, o desenvolvimento do bebé e até mesmo o trabalho de parto e pós-parto. É por isso que é tão importante que a mãe esteja bem informada, aprenda os meios e as ferramentas pessoais para harmonizar os seus sentimentos e pensamentos, para o melhor começo de vida do bebé.

“O bebé praticante de Yoga dentro da barriga da mãe é mais capaz de se desenvolver harmoniosamente, usufruindo do reforço do equilíbrio, serenidade, energia, pensamento e emoções positivas da mãe.”

Vantagens do Yoga durante a gravidez:

  • Ajuda a ultrapassar de forma mais tranquila as alterações físicas, energéticas, hormonais e emocionais que a mulher sofre durante a gravidez;
  • potencia a elasticidade e força muscular da futura mãe, agora que terá de carregar mais peso com o bebé em constante crescimento;
  • Serve de antídoto ao stress, tristeza e irritação, acalmando o sistema nervoso intimamente ligado à sobrevivência do  bebé, através da Meditação, mentalização positiva, exercícios respiratórios e de relaxamento, provocando um retorno à calma e tranquilidade durante e após a prática do Yoga;
  • Atua sobre os órgãos, tecidos e glândulas, aparelho circulatório sanguíneo, linfático e imunológico, tonificando-os e otimizando as suas funções, tendo em atenção que durante a gravidez a mulher possui mais sangue para purificar, e estes aparelhos estão a ser pressionados pela falta de espaço e atividade extra;
  • Ajuda a futura mãe a viver a gravidez com mais felicidade e confiança, aumentando a sua sensibilidade e diálogo interno com o bebé;
  •  Ajuda na recuperação emocional e física pós-parto e continuação da ligação com o bebé.

DMuito embora a prática do Yoga não garanta um parto natural e rápido, pode ajudar a passar por eventuais desafios que se coloquem na altura do parto e pós-parto.

Orientações para a prática do Yoga durante a gravidez

Se esta é a primeira vez que inicia a sua prática, lembre-se que está numa fase muito especial da sua vida e particularmente transformadora. Por isso, redobre os seus cuidados, oiça o seu próprio corpo e o seu bebé, não ignore qualquer sensação de desconforto ou tensão. Cada expiração de alívio deve ser observada como um sinal do organismo, mesmo se já estiver habituada a praticar Yoga.

Susana Lopes, em Yoga e Maternidade
Veja o resto do artigo na revista Reiki & Yoga nº22