A sua vida nos astros, ou os astros na sua vida?

erá que os astros realmente influenciam a nossa personalidade e o nosso destino? Muitos acreditam que sim, outros nem por isso, pois querem a prova científica.

A grandiosidade e o mistério que envolvem os astros aguçam a curiosidade sobre os seus poderes de intervenção nas nossas vidas. Como pode algo que está tão longe, tão distante de mim, influenciar a minha vida? Em suma, porque é que a posição espacial de um determinado corpo celeste teria algo a ver comigo, perguntam os mais céticos?

O reputado filósofo, professor de psicologia e astrólogo, Richard Tarnas, perguntou no início de uma entrevista concedida ao The New York Times, quando questionado se os astros determinavam realmente a nossa vida: «Que horas são?». «Meio-dia e meia», respondeu o entrevistador. «Como sabe isso?», perguntou o astrólogo. «Olhei para o relógio» – respondeu o entrevistador. «Acha que foram os ponteiros do relógio que causaram a hora?» A resposta foi óbvia: «Não».

Foi quando o astrólogo explicou: «Pois sucede o mesmo com os astros. Não causam nada. São ponteiros que nos permitem tomar notas das horas do cosmos. Porque somos cosmos sob forma humana. Nós somos a maneira que o cosmos usa para se sentir consciente de si mesmo».

Roberto Boczko, professor do Instituto de Astronomia e Geofísica em São Paulo, explica que, do ponto de vista científico, os astros influenciam a vida das pessoas e da própria Terra, uma vez que é a luz do Sol que define o ciclo do dia e da noite, sem o qual muito provavelmente não existiria vida na Terra. Mas, além do Planeta, o astrónomo chama a atenção para a influência causada pela Lua.

O conhecimento de que a Lua influencia as marés é uma coisa muito antiga. É simples de perceber que quando a Lua nasce, a maré é baixa e quando a Lua está a passar acima das nossas cabeças, a maré é alta, esclarece Boczko.

Aprendemos já na escola que devido à periodicidade dos movimentos celestes foi possível conseguir fazer previsões dos seus movimentos. Em particular, o período de um ano é definido pelo tempo que o Sol leva para retornar a uma mesma posição no céu em relação às constelações.

O movimento do Sol no céu que, na verdade, é decorrente do movimento da Terra ao seu redor, determina as estações do ano.

Sim, muitos duvidam que as posições das estrelas no céu, realmente, influenciem as pessoas. Mas, até à descoberta do matemático e astrónomo Nicolau Copérnico, que colocou o Sol como o centro no sistema solar, também não acreditavam que a Terra pudesse não ser o centro do Universo.

Apesar de ser considerada só como pseudociência, a Astrologia é imensamente popular. No Ocidente, estima-se que 1 em 4 pessoas acreditem no poder dos astros. A Astrologia vem do grego ‘astro = estrelas e logos = palavra’, ou seja, é a mensagem que as estrelas passam para nós.

Acreditando, ou não, o que é verdade é que a Astrologia, tal como a Numerologia, pode servir como ferramenta para nos compreendermos melhor, para nos conhecermos melhor.
O objetivo é ampliar a consciência da pessoa para que ela avalie o que quer fazer para viver em harmonia e beneficiar de todos os seus potenciais.

Mesmo os mais céticos têm de aceitar que a Astrologia serve pelo menos para uma coisa – ajudar as pessoas a viverem as suas vidas. O que não é pouca coisa.