Todos nós, em alguma fase da vida, ouvimos falar de Anjos, mais habitualmente na infância, quando alguém mais próximo ensinava a oração ao Anjo da Guarda, sempre a apelar à proteção da alma. Crescemos e, por vezes, afastamo-nos das crenças de criança e muitos afastam-se da Igreja, porque negam tudo o que lhe associam, abandonando aquele contacto simples e mágico que era feito e que abria a porta para que o seu Anjo pudesse realmente proteger a sua alma.

Hoje em dia, são muitos os autores que se dedicam ao tema e também, em Portugal, é uma área que tem conquistado o seu espaço, com muitos terapeutas a dedicar-se à mesma e a levar as mensagens de luz dos Anjos a cada pessoa que as procure, ajudando na conexão com esta energia. O verdadeiro trabalho nesta área é sempre de aproximação entre a energia terrena e a energia angélica.

 

Trazer paz à Terra

Assistentes celestes do divino, os Anjos são pura energia desprovida de ego e têm como missão trazer a paz à Terra e, para tal, trabalham incansavelmente para que a paz comece dentro de cada um de nós. São enviados para nos ajudar a recordar a nossa verdadeira essência, orientando-nos no nosso caminho. E porque somos seres espirituais a viver uma experiência humana, os Anjos acompanham-nos no decorrer desta experiência terrena que contribui para a nossa aprendizagem e evolução, para que cumpramos o nosso propósito de vida.

Respeitando os princípios do livre-arbítrio, só a nossa permissão permite a sua atuação, por isso devemos pedir ajuda e orientação sempre que necessitamos de tal. A forma como o fazemos não é importante. Não são necessárias orações religiosas, apenas importa que o façamos de coração verdadeiramente aberto, com sinceridade, gratidão e depois, ficarmos atentos. Muitos fecham os seus corações e não ouvem aquela voz que procura ajudar, orientar e recordar a verdadeira essência de cada um. Mas, os Anjos permanecem sempre connosco, seja qual for a religião, a crença, a origem ou a natureza de cada um e não julgam, por mais erros que possamos cometer ou mesmo se não acreditarmos na sua existência.

 

Ter fé

Os Anjos estão próximos da nossa frequência vibracional, o que significa que nos poderá ser fácil perceber, sentir, ouvir e encontrar sinais da sua presença e as mensagens que nos enviam para que nos sintamos acompanhados. Quando verdadeiramente sintonizados com eles, conseguimos perceber a sua energia na nossa energia. Sentimo-nos mais fortes e protegidos. Os sinais tornam-se mais óbvios e frequentes e a nossa própria frequência muda, ganhamos paz interior e um conhecimento energético que tem efeitos maravilhosos e intensos. Tornamo-nos mais positivos, a nossa fé aumenta e essa mudança de frequência acaba por atrair para a nossa vida experiências felizes e significativas. Consequentemente, os efeitos energéticos das experiências mais dolorosas vão-se desvanecendo.

Todos nós temos a capacidade de sentir os nossos Anjos, mas nem todos estamos sintonizados para tal. Uma pessoa que acredita terá naturalmente mais facilidade, mas apenas porque uma que não acredita poderá desvalorizar ou mesmo não prestar atenção aos sinais que também recebe. Há, ainda, pessoas que foram criadas numa cultura de medo e que, por isso, negam a sua ligação ao divino, presente em cada um de nós.

Os nossos protetores trabalham em conjunto com o nosso Eu Superior e respeitam as nossas crenças, os nossos valores e a nossa vontade. Chegam até nós, muitas vezes através dos nossos pensamentos, aquela voz interior que ouvimos e que achamos que é a nossa consciência. Tendencialmente, racionalizamos, procuramos explicações terrenas. E embora possa ser uma comunicação com o nosso Eu Superior, a verdade é que o mesmo está ligado ao divino e traz-nos mensagens que precisamos de receber: avisos de perigo antes de algo acontecer, sobre caminhos a escolher, decisões a tomar que muitas vezes ignoramos, para depois nos arrependermos.

 

Os Anjos e as Arcanjos

Além de Anjos, temos ainda Arcanjos, mensageiros do divino, que supervisionam o trabalho dos Anjos. Há inúmeros Arcanjos, sendo os mais conhecidos o Arcanjo Miguel, da proteção, da coragem e que nos ajuda a seguir o caminho alinhado com o nosso propósito de vida; o Arcanjo Rafael, da cura física, emocional e espiritual e que acompanha todos os terapeutas que trabalham na área da saúde e o Arcanjo Gabriel, da comunicação, da criatividade e de proteção na conceção, gravidez e adoção.

Os Anjos e os Arcanjos têm as suas especialidades, missões angélicas para as quais estão mais vocacionados, contudo, não é fundamental conhecer todas estas especialidades, nem mesmo saber os seus nomes. O importante é sentir que eles estão lá e pedir ajuda, de coração aberto, sabendo que eles farão sempre o que lhes for possível, dentro do que contribui para o nosso bem supremo e para o bem supremo de todos os envolvidos.

Quando precisamos de sentir de forma mais efetiva a presença do divino na nossa vida, devemos ficar atentos a todos os sinais que chegam: penas em locais inusitados, moedas recorrentemente caídas no chão, borboletas que parecem pairar à nossa volta, números repetidos (ver sempre as horas às 11h11, por exemplo), uma ideia persistente, um sonho que nos traz uma orientação, a letra de uma música que nos desperta, uma conversa que nos dá uma resposta. A forma como as mensagens nos chegam não têm limite, são subtis, mas sempre mágicas. E quando estamos atentos, o mundo torna-se um lugar mais pacífico, mais feliz e mais divino, repleto de sinais e mensagens que nos ajudam a destrinçar os caminhos labirínticos da nossa vida.

As mensagens podem chegar-nos de variadíssimas formas, sendo que cada um de nós poderá ter a sua forma mais profunda de conexão: através da visão, de sensações, de pensamentos ou da audição.

Lembre-se, não está sozinho em momento algum da sua vida e pode pedir sempre orientação e ajuda ao seu Anjo da Guarda. Convido-o, por isso, a pedir um sinal. De coração aberto. Peça uma mensagem em como está acompanhado e depois fique atento e veja a magia a acontecer.

 

Artigo publicado na Zen Energy Nº 83 (edição de Dezembro de 2015)