Quirologia: a grande porta para o autoconhecimento

A Quirologia, como é chamado o modo de abordar a ciência da leitura de mãos, é tão antiga que se perde no tempo…

A palavra “Quirologia” é originária do grego, onde quiro significa “mão” e logia significa “estudo”. Ou seja, o estudo ou conhecimento adquirido através das mãos. O objetivo da Quirologia é colaborar para a evolução do indivíduo, estabelecendo um equilíbrio em todas as áreas da vida mediante o aumento do autoconhecimento.

O processo de esclarecimento no trabalho da leitura das mãos pode ser comparado a um passeio por uma floresta. Podemos seguir em frente sem um objetivo definido e ir percorrendo caminhos que nos parecem mais sedutores, ou então se tivermos um mapa, ele não nos impedirá de tomar os caminhos que nos parecerem mais interessantes, mas sempre saberemos onde estamos e para onde estamos a ir. Assim é a Quirologia: o mapa que consultamos no nosso passeio pela vida.

 

Viajando no tempo…

 

A sua Antiguidade está muito presente, por exemplo, na Patagónia, República Argentina, onde existe uma caverna chamada “Rio das Pinturas”, onde se observa a impressão de muitas mãos, em diferentes cores, verdadeiras marcas humanas do período paleolítico.

Os hindus utilizavam a Quirologia como parte de uma ciência maior chamada Samudrika Shastra. Foi estudada praticamente por todos os povos antigos, como caldeus, tibetanos, babilónicos e sumérios, hebreus, egípcios, persas, entre outros. Os gregos atribuíram-lhe o valor de ciência divina.

A Bíblia, por sua vez, também faz vasta referência sobre o tema: “Ele selou as mãos de todos os homens, para que todos os homens conheçam a sua obra.” (Jô, 37:7). “Aumento de dias há na sua mão direita; na sua esquerda, riquezas e honra.” (Provérbios de Salomão, 3:16).

Esses exemplos ilustram a antiguidade, a seriedade e a transcendência do estudo das mãos. Atualmente, existem muitas Escolas de Investigação e Aplicação Prática da Quirologia – Escola Francesa, Inglesa, Hindu, Alemã, Suíça, Americana – aumentando, consideravelmente, o número de pesquisadores que se dedicam ao estudo desta ciência.

O grande psicólogo suíço Carl Gustav Jung, impressionado com o significado e a mensagem dadas pelas suas mãos, escreveu o seguinte na apresentação do livro As mãos das crianças, de Julius Speer: “As mãos, cuja forma e funcionamento estão tão intimamente relacionados com a psique, podem proporcionar expressões reveladoras e, portanto, interpretáveis, das peculiaridades psicológicas do caráter humano.”

 

Mensagens transmitidas pelas mãos

 

As mãos, em particular os dedos, têm um elevado valor mítico em todos os ritos religiosos, representando deuses e divindades, como se constata entre muçulmanos, hindus, egípcios e americanos nativos.

Na Religião Católica, o dedo polegar representa Deus, o dedo indicador o Espírito Santo e o dedo médio, Jesus Cristo. É esse o motivo pelo qual os padres, ainda hoje, benzem os fiéis, levantando esses três dedos invocando o “Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”

As mãos de Jesus e Maria são representadas com uma energia luminosa, no centro da palma. Em todas as danças, sagradas ou não, as mãos são usadas, em gestos simbólicos de grande transcendência, e o mesmo se observa em relação a bênçãos, invocações, batizados e purificações. Do ponto de vista curativo, desde a mais remota antiguidade, as mãos são a ponte entre a mente, a energia e o físico, para transmitir energia vital como por exemplo através do Reiki, para limpar, harmonizar e equilibrar os pontos de energia do corpo, os chakras e para curas físicas, energéticas e espirituais.

A imposição das mãos é utilizada desde o tempo dos nossos ancestrais, em diferentes culturas, como na Índia, Japão, África, Polinésia, América, entre outras.

A Quirologia permite desvendar o mapa do nosso percurso de vida impresso nas nossas mãos, que trazemos desde o momento em que nascemos, e que se modifica ao longo da vida, precisamente para nos informar de vários acontecimentos a diversos níveis, desaparecendo apenas quando partimos.

Assim, através do estudo quirológico das nossas mãos, podemos conhecer e esclarecer vários aspetos importantes sobre a nossa vida física, psicológica, emocional, profissional, espiritual, karma e dharma, caminhos percorridos e a percorrer, permitindo dessa forma um maior autoconhecimento, crescimento pessoal e espiritual, para assim termos mais consciência do que queremos e o que já não queremos na nossa vida, onde estamos e para onde estamos a caminhar.

Por Ângela de Sousa

www.quirologiaporto.pt