Nelson Mandela partiu para o seu merecido descanso a 5 de Dezembro de 2013, curiosamente uma data que soma 5 (5+1+2+2+1+3=14=5) como o dia e como a idade que tinha (95=14=5). Esta energia de 5 é, como bem sabe quem estuda Numerologia, uma vibração de mudança e de transformação e estava fortemente presente neste trânsito. Na verdade, desde os 91 anos que Nelson Mandela se encontrava em trânsito de partida da vida, por isso esta confluência de energia de transição deu o impulso que era esperado.

Mas, falemos da vida e não da morte. Ao analisar a sua data de nascimento podemos tirar algumas conclusões interessantes:

18/7/1918

Número de Vida: 1+8+7+1+9+1+8 = 35 = 8

 


De vidas passadas trazia já energias de poder e liderança, por isso não espanta que nesta vida ele se apresentasse como um líder carismático.
Vejamos a sua contabilidade kármicaO dia de nascimento mostra-o como uma pessoa de grande força de carácter, seguro das suas convicções e líder natural, assumindo-se como figura de autoridade sem qualquer problema. O seu Número de Vida mostra que o seu propósito existencial passava por criar obra visível e geradora de valor, alimentada pelo ideal que estivesse no Fogo (35) da soma total da sua data. Este Número de Vida é muito poderoso e exige muita força interior, perseverança e trabalho,pois está ligado ao poder da vontade.

18/7/1918

9  7    1

9-7 = 2 (subtrai dia e mês)

9-1 = 8 (subtrai dia e ano)

8-2 = 6 (subtrai os valores encontrados)

7-1 = 6 (subtrai ano e mês)

O par 8 (heranças kármicas) mostra que teve poder e mandou sobre outras pessoas. Deste modo, não lhe foi difícil assumir protagonismo nos locais e círculos aos quais se ligou, já que o poder era algo que conhecia bem. O segundo par de duplo 6 (desafios kármicos) mostra que trazia dessas vidas passadas um padrão de arrogância, acreditando que possuía a razão e a verdade do seu lado. Nessas vidas em que teve poder quis certamente impôr os seus princípios e obrigar que fossem aceites como a verdade absoluta, não aceitando que discordassem de si. Dificilmente aceitou que não tinha razão ou que errou, possuindo muita segurança das suas noções decerto e errado, justo e injusto, possível e impossível. Assim, trazendo estes padrões kármicos é natural que lutasse por aquilo em que acreditava. Só que desta vez estava do lado certo e foi provavelmente a força das suas convicções que o levou a nunca soçobrar apesar dos maus tratos e dos quase 30 anos de prisão. Essa arrogância foi certamente transmutada numa força interior poderosíssima, que o fez ser respeitado até pelos seus inimigos.

A soma destes quatro valores, chamada karma acumulado, evidencia a verdadeira situação kármica e aquilo que se traz para trabalhar na vida actual.

 

Karma acumulado: 2+8+6+6 = 22

Por isso a sua morte terá sido, sem dúvida, a oportunidade de repousar da luta e de regressar à Luz com a serenidade de quem cumpriu aquilo para que nasceu.Este valor significa que Nelson Mandela vinha naquilo a que se chama uma vida de missão. De forma resumida, pode dizer-se que karmicamente existem três situações possíveis:vidas de aprendizagem, de resgate kármico e de missão.As primeiras são aquelas em que a alma vem apenas colocar em prática uma determinada energia que constitui a sua principal aprendizagem na vida. As segundas mostram que existem dívidas kármicas de vidas passadas que terão de ser resgatadas na presente vida e as vidas de missão mostram almas antigas e sábias que vêm colocar em prática algo já aprendido, o que representa uma elevada responsabilidade do ponto de vista kármico. Estas pessoas poderão ter muitos desafios a enfrentar, mas quando conseguem fazê-lo representam exemplos marcantes para quem esteja perto de si. A de Mandela significa que teria de ser realizada a partir da utilização em pleno de todas as capacidades de trabalho, persistência e força interior, num contexto de união e de serviço.