Descobertas interiores

O Ritual Trance Dance é constituído por movimento corporal, sons orgânicos, ritmos percussivos dinâmicos, respiração e a utilização de uma venda nos olhos. Todos estes elementos, em simultâneo, levam a um estado não ordinário de consciência ou de transe
que promove uma abertura espiritual, clareza mental, vigor físico e emocional.

 

Este método foi criado por Frank Natale na década dos anos 70 do século passado e é atualmente promovido por Wilbert Alix. Transporta os participantes para uma verdadeira jornada interior de encontro a si mesmo, uma experiência descondicionadora e libertadora. Este método permite o acesso
a estados não ordinários de consciência e o encontro entre os membros de uma comunidade local.

Ritual repleto
de história
Estes rituais são parte vital das culturas xamânicas por todo o mundo, sendo conhecidas e promovidas nestes contextos há milhares de anos. A abordagem contemporânea do Trance Dance combina os antigos rituais com algumas técnicas modernas, criando um método surpreendentemente eficaz. Podemos dizer que
o Trance Dance enquadra-se num conceito que denominamos Neoxamânico.
Desde os primórdios da história, encontramos inúmeras evidências deste tipo de dança, demonstrando que a nossa relação com a dança, originalmente, tinha outras finalidades bem distintas das contemporâneas. Esta era usada como forma de as pessoas se conectarem com a sua essência interior, como uma porta de entrada para
a alma ou para o espírito. Estes antigos xamãs, através da dança, acreditavam que
a sua vida se empoderava com mais coragem e amor, assim como lhes trazia insights sobre o futuro. Através da dança, estes acedem ao espírito dos animais de poder ou do seu totem, assim como a identificação do espírito das plantas. Com esta identificação acedem à sabedoria do universo, à qual não têm acesso no seu quotidiano.

Conectados com a essência
Os seres humanos possuem cinco sentidos: visual, auditivo, olfativo, paladar e tátil. Estamos habituados a observar o mundo exterior através da visão. Ao dançarmos com as vendas nos olhos, criamos temporariamente uma condição de profunda e absoluta escuridão, permitindo um enorme mergulho dentro de nós próprios. Os participantes descobrem realidades profundas sobre
a vida e soluções para muitas das suas problemáticas. Simbolicamente, a escuridão representa a nossa sombra e através desta prática conseguimos aceder à sombra oculta no quotidiano e expressar aquilo que deverá ser manifestado no momento presente.
A escuridão cria um estado de suspensão do tempo e leva-nos a um estado não ordinário de consciência ou transe. E é através desta viagem interior que nos conectamos com a nossa essência, com a verdade universal que se revela.
No Xamanismo tradicional, a figura do xamã era detentora da autoridade que permitia compreender e aceder à essência de cada participante da sua comunidade. A meu ver, neste novo conceito de Neoxamanismo, cada participante tem a capacidade de aceder dentro de si mesmo e através da sua própria autoridade, compreender novas soluções para as suas vidas. À semelhança das práticas xamânicas, recorremos também ao poder da intenção de cada um para aprofundar esta prática.

Viagem de autodescoberta
A música é fundamental nas práticas de Trance Dance. O ritmo dos tambores
é muitas vezes utilizado, assim como outros instrumentos de poder, como o didgeridoo, flautas, maracas, sons de pássaros, de água e outros. Podemos recorrer a uma construção em modo digital, que é a forma contemporânea que temos para projetar
a música de forma poderosa. Sabemos que estes ritmos e batidas promovem um estado de transe, nomeadamente quando o ritmo é contínuo e constante.
Nos momentos finais deste método criamos uma viagem sonora com instrumentos orgânicos, para que os participantes integrem e relaxem do êxtase criado durante o ritual. Como refere Mircea Eliade, este tipo de técnicas são consideradas técnicas de êxtase ou tecnologias do sagrado.
As recentes investigações têm demonstrado os inúmeros benefícios que estes estados não ordinários de consciência têm para
a nossa saúde (Bizarro, 2018). Para quem quiser aprofundar estes estados poderá consultar o livro Respiração Holotrópica: Uma Abordagem Transpessoal. É criado, nestes métodos, um ambiente estimulante e seguro, para que os participantes realizem uma jornada de autodescoberta.

 

Rui Bizarro
Psicólogo Transpessoal
www.projetosimplesmente.com
projetosimplesmente@gmail.com
quintasaojosedosmontes.com